segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Androphilia - Sexuality as Preference / Sexualidade como Preferência

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan - http://recrutaespartano.blogspot.com.br/2012/12/sobre-androphilia-jack-donovam.html

É absolutamente normal que um homem, seguro de sua sexualidade, admire em outros homens suas virtudes viris. Aparências masculinas, traços físicos como barbas e músculos  fortes e até mesmo o tamanho de órgãos sexuais, podem ser comentados com admiração entre homens sem correr o risco de classifica-los de homossexuais. Homens admiram outros homens, se espelham e imitam como se imitam os atores dos filmes de ação, figuras do mundo do entretenimento e esportes, um homem pode apreciar a boa aparência de um “borther”. Admirar a masculinidade de outros homens faz parte dos princípios de ser um homem.

“The prefix andro means male, it comes from the Greek word anêr, which describes an adult male in the prime of his life. The suffix philia can mean a friendly love or appreciation. In some platonic sense, many men are androphilles. They appreciate masculinity the way audiophiles appreciate music.”

O prefixo andro quer dizer macho, isso vem da palavra grega “anêr”, que descreve um macho adulto em seu principio de vida. O sufixo “philia” quer dizer amizade, amor ou apreciação. Em qualquer senso platônico, muitos homens são “androphilos”. Eles apreciam a masculinidade como os “audiophilos” apreciam musica.

As formas de apreciação e o desenvolvimento na sexualidade da atração de um homem por outros homens envolvem diferentes fatores. Um indivíduo na Filipinas provavelmente tem como objeto de atração em homens coisas diferentes que o teria um indivíduo de algum subúrbio americano.O desejo sexual é diverso, o ser humano tem diferentes desejos e preferências. Aí é que o termo “androphilo” se torna apropriado pois descreve apenas o objeto de desejo e não a forma do indivíduo, oposto ao termo gay cuja associação é sempre feita ao afeminamento.

“The word gay creates social identity, it is a political tool used to clain minority status”

“A palavra gay criou uma identidade social, isso é uma ferramenta política para clamar um status de minoria”

Esta palavra é aplamente usada de forma depreciativa pois em sua origem esteve sempre associado ao fator do afeminamento, antigamente era usado também para as prostitutas para denotar alguém que fazia uso de cores chamativas, brilho e felicidade. A palavra gay também é frequentemente usada para algo afeminado, delicado, fraco ou frívolo como uma associação ao conceito da homossexualidade.  As qualidades associadas a palavra “gay” nem sempre é aplicável ao homossexual masculino.

Gay Party Crashing - Falha no Partido Gay

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan - http://recrutaespartano.blogspot.com.br/2012/12/sobre-androphilia-jack-donovam.html



Houve uma grande mudança na forma de encarar a homossexualidade desde a decada de 90.
A partir das mudanças ocorridas nas decadas anteriores no esforço de garantir o direito dos homossexuais, a partir da decada de 90 houve uma explosão da liberdade de expressão da homossexualidade e da chamada “cultura gay”.
Debates sobre a homossexualidade tornou-se a ordem do dia de qualquer partido politico e o engajamento da comunidade gay a determinados partidos políticos já constituidos criou uma espécie de “industria politica da defesa dos direitos dos gays”.
O questionamento no entanto é feito em determinar-se o quão realmente valida podemos considerar essa defesa. Será que os assuntos colocados como metas de campanha ou defesa de interesses para os gays abrange realmente os interesses da maior parte da comunidade?

"The Illusion of Oppression and Victimizacion

The gay advocacy industry must maintain the illusion of oppresion and victimizacion so that hundreds of thousands of checkbook revolutionaires can believe that they are fighting for their own freedon.But the truth is that they´re already free to do just about anything. So, like any movement that has achieved mos of its goals but can´t just close up shop. The Gay Advocacy Indsutry looks for new problems, and creates them (or exaggerates their importance) if necessary. The Gay advocacy Industry´s biggest enemy is not the wicked Religious Right it is the possibility that same-sex-oreitented people don´t feel victimized or oppressed, they´ll stop wrighting all those checks."

A Ilusão da Opressão e Vitimização

A indústria de defesa de gays deve manter a ilusão de opressão e vitimização para que centenas de milhares de revolucionários de plantão possam acreditar que eles estão lutando por sua própria liberdade Porem a verdade é que eles já estão livres para fazer qualquer coisa. Assim, como qualquer movimento que tem atingido algumas de suas metas, porém não pode simplesmente fechar as portas. A Industria da  Advocacia Gay procura por novos problemas, e cria-los (ou exagerar a sua importância) se necessário. Maior inimigo da Indústria de defesa de gays não é o garantir o direito dos impios em relação a  “direita religiosa” é a possibilidade de que pessoas com orientação a pessoas do mesmo sexo não se sintam vitimizados ou oprimidos, eles vão parar de registrar todas essas queixas.

Entre os assuntos mais discutidos atualmente à defesa dos gay está o direito ao “casamento gay”. Este assunto, sempre que colocado a palta levanta questões sensíveis que envolvem visões religiosas e questões igualitárias protegidas por lei. A parte disso tudo, aqueles que vivenciam a comunidade  gay podem perceber o quanto é pequeno o interesse que esta questão disperta entre os principais envolvidos.
Conhecemos casais gays que vivem juntos, compartilham bens, constituem patrimonios, vivem e comunidades predominantemente heterossexuais sem enfrentar a magnitude dos problemas declarados “em campanha de defesa dos homossexuais”, estes muitas adptam mecanismos legais para a defesa de seus direitos sem precisar necessáriamente da formalização de união através do casamento. Questões mais relevantes como o bulling contra jovens homossexuais nas escolas são praticamente esquecidas:

“Nevertheless, The Gay Party tells us that we homosssexuals must band together to fight against high-school bullies, and to encourage kids to “come out” and ghttoize themselves into little gay support groups where they can become conversant in Party dogma and avoid ever having to learn to deal effectivelly with their straight peers. The Gay Party tells us our oppression is a lack of acceptnace, which force us into self-destructive patterns of behavior. The Gay Party insists we learn that we are victimis of heterossexual oppression, and imagine that every one is out to get us. Loyal members of the Gay party know that are brave survivors working throught all of the  issues caused by adolescent ostracism and the hateful heterossexual hegemony. Ins´t that what Gay Pride is all about?”

"No entanto, o Partido Gay nos diz que nós homosssexuais têmos de nos unir para lutar contra os valentões da escola, e para incentivar as crianças a" sair "e engajar-se em pequenos grupos de apoio, onde homossexuais podem tornar-se fluentes nos dogmas do partido e evitar sempre a ter que aprender a lidar de forma efetiva com os seus colegas heterossexuais. O Partido Gay nos diz que a nossa opressão é uma falta de aceitação, que nos força a auto-destrutivos padrões de comportamento. O Partido Gay insiste que devemos aprender que somos vítimas de opressão heterossexual, e que imaginemos que todos estão aí para nos prejudicar. Membros leais do partido Gay sabem que são sobreviventes corajosos trabalhando entre todos os problemas causados ​​pelo ostracismo dos adolescentes e da hegemonia heterossexual odiosa. Não é tudo isso que é o orgulho Gay ? "


Existe uma tendencia a criar uma ideia de “etnia gay”, isto é, assim como aos negros e asiáticos, classificar os gays como um grupo “atnicamente” diferente legitimando-o como uma minoria genetica e cultural distintas, cujos direitos de existir devem ser garantidos.

“My critique is not of what the gay community was, but what it has become: a parody of itself

"Minha crítica não é do que a comunidade gay era, mas o que ele se tornou: uma paródia de si mesmo"

A comunidade gay, a despeito de suas conquistas, tende a ser uma comunidade alienada politicamente e manipulada pela politica eleitoreira.

“It´s time we stop forcing them to call themselves gay man and simply allow them to be man

"É tempo de paramos de forçarmos a nos referirmos como homens gays e simplesmente permitirnos sermos homens"



O Gay Está Morto - Gay Is Dead

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan - http://recrutaespartano.blogspot.com.br/2012/12/sobre-androphilia-jack-donovam.html

"I am not gay
"I am a mam who loves men, and I´m confortable whit that"

Eu não sou gay
Eu sou um homem que amam homens, e eu estou confortável com isso...

Dessa forma inicia-se o primeiro capítulo do livro, Androphilia, um manifesto. Intitulado “Gay Is Dead” algo como “O Gay está morto”, é uma proclamação do direito de um homem a se opor a cultura gay.
O fato de ser um homem e ter outros homens como objeto de desejo sexual não equivale dizer que essa sexualidade lhe impõe uma transformação em outros aspectos de sua vida como a maneira de se portar e se vestir, lugares de convívio aquilo que tomamos como parte da “cultura gay” Um homem que ama outros homens pode permanecer masculino, deve assim ser, pois a sua sexualidade é apenas uma parte do que ele é como ser humano.
Existe um conceito errado em legar o afeminamento, celebrado pela comunidade gay, como uma manifestação do “lado feminino” que qualquer homem possui e fator indissociável da personalidade homossexual masculina . O fato de ser um homem que ama outro homem, não equivale dizer que este mesmo homem tenha de ter “seu lado feminino” manifesto, aflorado, nem a identificar-se como parte dos representados pela bandeira do “arco-íris”.
Entende-se aqui que muitos dos problemas enfrentados pela comunidade gay, problemas os quais hoje “advoga-se” como parte dos direitos a serem defendidos, está no marcante traço da cultura gay que consiste em uma super exposição de uma identidade feminina por indivíduos que deveriam manifestar-se de forma masculina, com normalidade. Quando um homem, homossexual, tem um “estilo de vida” masculino, pensa e age como um homem, reduz também para si os problemas que enfrentaria comumente um indivíduo que adota como seu e expõe para a sociedade manifestações de afeminamento, parte integrante da cultura gay.
Entender-se como homossexual, porém não gay, é ter consciência de sua forma de prazer, porém não fazer parte do conjunto de manifestações que se compreendemos como “mundo gay”.

“Gay is dead. Or at least  it´s dead to me. I ‘m just a man who loves man”

O gay está morto. Ou, pelo menos está para mim. Eu sou apenas um homem que ama homens.

The Stigma of Effeminacy - O Estigma do Afeminamento

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan - http://recrutaespartano.blogspot.com.br/2012/12/sobre-androphilia-jack-donovam.html

Durante o século XVI, no primeiro ano de seu governo o Emperador Justiniano prendeu Alexandre de Diospolis acusado de atos homossexuais. Foi submetido como punição por fazer sexo com homens à castração e desfilar nu pelas ruas como exemplo. Exemplos como estes seguiram por toda a antiguidade, principalmente nas culturas judaico-cristas. A castração era uma forma de punir o homem que envolvia-se em sexo com outros homens retirando dele sua masculinidade. Removido seus órgãos genitais o homem era igualado ao nível de inferioridade destinado as mulheres perdendo inclusive seus direitos de cidadão. A mensagem proclamada através da castração é que um homem que se envolve em atos sexuais com outros homens não pode ser considerado um homem.

“While castration is extreme, the same mensage resonates throughout Western culture to this day: males who engage in homossexual acts can´t be man; men who love men must be neutralized by having their manhood removed; they must become something else”

"Enquanto a castração é o extremo, a mesma mensagem ressoa na cultura ocidental até hoje: os homens que se envolvem em atos homossexuais não podem ser homens, os homens que amam homens deve ser neutralizados por ter sua masculinidade removida, eles devem tornar-se alguma coisa"

O afeminamento, é de certa forma uma espécie de castração já que o homem abre mão de sua masculinidade em pró de uma postura feminina. Dessa forma a socidade vê ao afeminado como um homem castrado, que perdeu sua masculinidade para se tornar “algo” indefinido entre o homem e a mulher ou um “meio homem”. Com a evolução das idéias humanistas houve também esforços para se entender o fenômeno da homossexualidade levantando-se questões que ainda hoje ressoam. Um exemplo disso e a idéia de que um homossexual seria um “homem com alma feminina”, avalizando o afeminamento como algo inerente ao homossexual masculino.

“The problem is that homossexuality and affeminacy are virtually synonimous in the modern public´s mind. All man who love men are stigmatized as being intrinsically effeminate”

"O problema é que homossexualidade e afeminamento são praticamente sinónimo na mente do público moderno. Todos os homens que amam homens são estigmatizados como sendo intrinsecamente afeminados "

O senso comum também cria no moderno homosexual uma noção de legitimidade ao assumir uma postura feminina. Recorrente a conceitos antigos que tentavam explicar a homossexualidade ou o homossexual como um “homem que nasce geneticamente masculino, mas tem uma alma feminina”.
Gostar de outro homem não muda o fato de ser homem e ter sua masculinidade, não quer dizer obrigatoriamente que este homem seja afeminado ou tenha seu “lado garota” aflorado (se é que o tem...)

I love men because i´ve developed a deep-seated appreciation for men and for masculinity itself”

"Eu amo os homens, porque eu desenvolvi uma apreciação profunda por homens e para própria masculinidade"

“In part, this stigma of affeminacy has to do whith a rather simplistic, polarized understanding of sexuality. Sex between male and female is nature´s norm, so according to a basic line of reasoning, males who want other males must somehow be more womanlike. It´s easy to see how this would make sense to people whose understanding of sexuality is grounded in that binary system of male/female. If those men who love men are really more like women, everything falls into the predictable pattern".

"Em parte, este estigma do afeminamento tem a ver com um entendimento um pouco simplista e polarizado da sexualidade. Sexo entre macho e fêmea é norma da natureza, isso de acordo com uma linha básica de raciocínio, os homens que querem outros machos deve de alguma forma ser mais femininos. É fácil ver como isso faria sentido para as pessoas cuja compreensão da sexualidade é baseada nesse sistema binário homem / mulher. Se aqueles homens que amam homens são realmente mais como mulheres, tudo cai no padrão previsível.

Esta polaridade na maneira de compreender a homossexualidade é comumente usada para justificar uma “anti-naturalidade” nas relações de um mesmo sexo. Cria também uma tendência, para a compreenção, em uma relação homossexual  atribuir a um dos sexos papeis compreendidos como masculinos e femininos sendo que à este ultimo atribui-se também o atributo do afeminamento, coisa que nem sempre corresponde a verdade. Nem sempre o que se compreende como feminino – o passivo – é aquele que possui características femininas e na maior parte das relações homossexuais não existe um papel definido no ato sexual para cada parceiro.

“A psychic separation is created between the self and the objetct of sexual desire. It is really no wonder that so many self-identified homosexuals, in some way perceive themselves to be more feminine than the masculine man that they desire. It seems like a psychological reflex to assume that, when appreciating the masculinity of another man, one is somehow different from him and those like him. But this is more a matter of perception than reality”

"Uma separação psíquica é criada entre o eu eo objeto do desejo sexual. É realmente de se admirar que tantos auto-identificados homossexuais, de alguma forma percebe-se como sendo mais femininos do que o homem masculino que eles desejam. Parece um reflexo psicológico de assumir que, quando aprecia-se a masculinidade de outro homem, um é de alguma forma diferente dele e de outros como ele. Mas isso é mais uma questão de percepção do que realidade "

 Na antiguidade alguns povos como o grego tinham uma visão diferente em relação a homossexualidade, contudo não escapavam da idéia de colocar em um papel depressiativo o papel do homossexual passivo dentro desta relação como o assumir de uma postura feminina e a subordinação entendida como própria ao sexo feminino. Um homem submisso perde seu valor como cidadão e o status reservado a masculinidade. A perda do status masculino está então intimamente ligada desde o início ao afeminamento. A demonstração de virilidade e o manter das qualidades masculinas entre os pares homossexuais, principalmente entre guerreiros, era visto pelos gregos como um fator positivo de união, tornando lícita ou aceita a homossexualidade. Exemplos como este podiam ser vistos em outras culturas como a Chinesa e a Japonês, entre guerreiros e monjes, onde a homossexualidade era vista com normalidade e como fator positivo de união entre homens.

“During the Ming Dynasty, in the southern province of Fujian, male couples often cohabitated. These bonds were prevalent enough there that troughout China they were referred to as nanfeng – a play on the word nan, which means both male and south”

"Durante a Dinastia Ming, no sul da província de Fujian, pares masculinos, muitas vezes viviam juntos. Esses laços foram predominantes o suficiente alí a ponte de através da China, eles  serem chamados de Nanfeng - uma brincadeira com a palavra nan, o que significa ao mesmo tempo sexos masculino e sul "

“At last half of the shoguns who ruled Japan from 1338 to 1837 had documented affairs whit men. Tokugawa Tsunayoshi had as many as 130 male favorites during his reign; one lifelong companion became his chief minister… Critics of these affairs disapproved not of the homosexual relationships themselves, but rather of the mixing of classes”

" Na última metade dos shogunado, que governou o Japão 1338-1837 tiveram  documentados seus casos com homens. Tokugawa Tsunayoshi tinha até 130 favoritos masculinos durante seu reinado, um companheiro ao longo da vida tornou-se seu ministro-chefe ... Os críticos desses assuntos não desaprovavam das relações homossexuais em si, mas sim da mistura de classes "

“Much like the famed Greek warriors of Thebes, the Samurai and their male sex partners (gomotsu) idealized honor and courage; they often fought together to the death”

"Assim como os guerreiros gregos famosos de Tebas, o Samurai e seus parceiros sexuais masculinos (gomotsu) idealizaram a honra e coragem, pois eles muitas vezes lutaram juntos até a morte"

No ocidente, mesmo nos dias atuais, permanecem os conceitos herdados das tradição judaico cristão que vê o homossexual como “alvo da ir divina” e deve ser combatido com o mais alto grau de rigor, assim como fez Deus segundo a bíblia aos habitantes de Sodoma e Gomorra ou como eram castrados os homossexuais desde o tempo de Justiniano seguindo durante toda a Idade Média e Renascença.

“The real ´internalized homophobia´ is the belief that you can´t truly be a man simply because you love other men. Over the course of history , psychological and physical castration have been the most powerful weapons of those who despised homosexuality. Institutionalizing the idea that all homosexual men are fundamentally less masculine, essentially says that, on one level, those homophobes are right. Gay advocates argue that they are ´second-class citizens´, but they seem to have no problem whit being ´second-class men´.

A real "homofobia internalizada" é a crença de que você não pode realmente ser um homem simplesmente porque você ama os outros homens. Ao longo da história, a castração psicológica e física foram as mais poderosas armas daqueles que desprezaram a homossexualidade. Institucionalizar a idéia de que todos os homens homossexuais são fundamentalmente menos masculinos, essencialmente, diz que, em um nível, os homofóbicos estão certos. Defensores gays argumentam que eles são "cidadãos de segunda classe", mas eles parecem não terem nenhum problema com o fato de serem "homens de segunda classe".

“The gay identity is so powerful because the gay community invited those who were outcast, who were stigmatized as being different, to accept that difference and see it as something that makes them special and should inspire self-worth. What I am doing here is questioning the idea that they were ever really all that different in the first place.”

"A identidade gay é tão poderosa, porque a comunidade gay convidou aqueles que estavam marginalizados, que foram estigmatizados como serem diferentes, a aceitar essa diferença e vêr-se como algo que os torna especiais e deve inspirar a auto-estima. O que eu estou fazendo aqui é questionar a idéia de que eles eram realmente muito diferentes, em primeiro lugar. "

“Many gays truly like the idea that they are not quite the same as men, and imagine themselves to naturally possess all of the best attributes of both sexes. Perhaps, because of this, they figure it´s not their concern, and that any-one who values masculinity and who is uncomformable whith the stigma of effeminacy ought to speak for himself.”

"Muitos gays realmente gostam da idéia de que eles não são exatamente o mesmo que os homens, e imaginam-se, naturalmente, possuir todos os melhores atributos de ambos os sexos. Talvez, por isso, esta ideia não é sua preocupação, e que qualquer um que valoriza a masculinidade é que estaria inconformado ao estigma da afeminação deveria falar por sí mesmo". 






`Man` The Natural Religion of Men - `Homem` A Religião Natural do Homem

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan - http://recrutaespartano.blogspot.com.br/2012/12/sobre-androphilia-jack-donovam.html

Relacionar a masculinidade em um padrão universal é algo muito complexo. Sempre que falamos sobre “masculinidade” temos em mente automaticamente alguns exemplos como os policiais, militares e atletas, porém não há formas objetivas de relacionar as características que fazem com que um ou outro indivíduo possa ser considerado mais ou menos masculino.
A masculinidade é um ideal compartilhado por uma coletividade. Dento do universo masculino a idéia da masculinidade é cultivada e zelada como um bem comum onde os padrões podem variar de cultura a cultura, porém não escapam da visão de que ser um homem envolve de certa forma a sua utilidade social como aquele capaz de exercer trabalhos de homem, isto é: a defesa de seu grupo social (família, aldeia...), fazer trabalho pesado, e exibir um físico saudável compatível com a gama de funções cuja força é essencial.
Há estudos que apontem que existe uma alteração química nos homens quando executam trabalhos que envolvem suas qualidades de “masculinidade” como a força física ou certa dose de violência como trabalhos em construção civil e uso de armas, alteradas as qualidades químicas haverá também alteração em suas características físicas. A consciência de executar atividades masculinas produz alterações químicas e consequentemente alterações físicas, por isso a sensação de satisfação experimentada por muitos homens a executar tais tarefas.
A masculinidade faz parte a experiência física de ter nascido homem.

“Just as I said almost anyone reading this could do this easily among any culture that has ever existed, and that the man chosen would be generally regarded as masculine bay his peers – assuming there wasn´t some transgression of a culturally specific masculine code in his past unknowable to you. This is why I refer to masculinity as the natural religion of men; the concept of manliness doesn´t just come out of nowhere – it grows naturally from the physical experience of maleness. What differs from culture to culture is the way in wich men developed this religion.”

"Assim como eu disse quase, ninguém lendo isto poderia fazer isso facilmente entre qualquer cultura que já existiu, e que o homem escolhido seria geralmente considerado como masculinos por seus pares - supondo que não houvesse alguma transgressão de um código cultural específico masculino em um passado desconhecido para você. É por isso que eu me refiro à masculinidade como a religião natural dos homens, o conceito de masculinidade não vem apenas do nada - ela cresce naturalmente com a experiência física da masculinidade. O que difere de cultura para cultura é a forma como os homens desenvolveram esta religião ".


A masculinidade, para ser melhor entendida, deve ser discutida em três diferentes aspectos:

MASCULINIDADE FÍSICA:

A masculinidade física, apesar de ser bem conhecida ao senso comum ainda não é completamente compreendida pelos cientistas. Homens e mulheres tem diferentes constituições físicas como crescimento de pelos, tipo de pele, órgãos reprodutivos, além das diferenças químicas causadas pelos hormônios influenciando inclusive a maneira de comportamento do indivíduo. Mesmo alterando suas características físicas externas, internamente o indivíduo não pode alterar suas experiência de ser do sexo masculino, desenvolvendo reações ao meio características de seu gênero.

MASCULINIDADE ESSENCIAL

“The body informs the mind. It is the physical experience of maleness that engenders essencial masculinity. Men, because of their physical experience of maleness, tend to be more naturally aggressive or assertive. Males tend to respond to certain things ins harmony with their bodies. But these responses are not isolated incidents, as they appear when we look at scientific studies. These responses occur over a lifetime and have a cumulative effect.”

"O corpo informa a mente. É a experiência física de masculinidade que engendra masculinidade essencial. Homens, por causa de sua experiência física da masculinidade, tendem a ser naturalmente mais agressivos ou assertivos. Os machos tendem a responder em  harmonia com seus corpos certas coisas. Mas estas respostas não são incidentes isolados, como eles parecem quando olhamos para estudos científicos. Essas respostas ocorrem ao longo da vida e tem um efeito cumulativo. "

A compreensão de ser um homem influencia diretamente na maneira a que esse indivíduo responderá ao meio em que vive, acumulando experiências e ampliando sua noção de masculinidade. Essa mesma noção de “ser homem” direciona o indivíduo a buscar correspondência em si e incorporar para si características de masculinidade próprias de outros indivíduos. 
Existe uma noção errônea na atual sociedade que prega determinadas manifestações de masculinidade  são incivilizadas e não produtivas tentando de certa forma desencentivá-las em sua pratica, porém naturalmente o homem escolhe como modelo de comportamento aqueles cuja masculinidade está manifesta em forma de trabalho pesado, coragem, força e brutalidade, seja em ídolos do cinema, personagens de jogos, esportistas ou profissionais da industria pesada ou construção.

“Essential masculinity is characterized bay desire. Essential masculinity is the desire which grows naturally from the physical experience of being male – the desire to be assertive, to exert strength, to be aggressive, to be independent, to differentiate oneself from women and to idealize manhood first, but so many people use that I was unable to figure out who originated it. My apologies to him”.

"Masculinidade Essencial é caracterizada pelo desejo. Masculinidade essencial é o desejo que cresce naturalmente com a experiência física de ser homem - o desejo de ser assertivo, para exercer força, ser agressivo, ser independente, para diferenciar-se das mulheres e para idealizar a masculinidade a princípio; porém muitas pessoas declaram serem incapazes de descobrir o que originou isso. Meus pezames a estes ".


MASCULINIDADE CULTURAL

A masculinidade cultural talvez é o fator de maior variabilidade. Cada cultura e cada época define o que é ser masculino, porém o que une todos esses padrões é a idéia de utilidade do homem para o bem desta sociedade.
Algumas ideologias tem o poder de incutir no homem a idéia de que seu valor como homem reside na demonstração de “coragem” em executar tarefas diretamente relacionadas a manutenção desses grupos. Homens bombas no Islã, revolucionários Comunistas, agentes Nazistas..., cada um, dentro de sua ideologia, exercia de demonstrava sua masculinidade baseado na idéia do bem comum. Ser homem é mostrar seu valor como parte importante dos interesses do grupo. Entre cristãos o “Real Homem Ama Jesus”, porem cada sociedade define o que considera ou espera como demonstração da masculinidade.
Os códigos de masculinidade tem o poder de moldar garotos em homens úteis a sociedade. Espera-se então uma mudança de comportamento para se definir o quando e o quanto um menino pode ser considerado um homem.

“Gilmore has provided the most insightful and concise understanding I´ve read regarding why cultures developed masculine ideals, why they create this religion of manhood. He presents masculine ideals as guards against “boyishness” in men, as ideals that drive men away from “regression” into models of behavior that revolve aroud nonproductive, childlike gratification”

"Gilmore tem proporcionado a compreensão mais perspicaz e concisa que eu li a respeito do porque as culturas desenvolveram ideais masculinos, por que criar essa religião de masculinidade. Ele apresenta os ideais masculinos como defesas contra a "infantilidade" em homens, assim como os ideais que colocariam os homens a caminho de "regressão" em modelos de comportamento que giram em torno da improdutividade, gratificação infantil "

“The gay community, by rejecting all masculine cultural ideals, rather than only those which prohibit homosexual expression, allows its males to remain boys. Many gay man never grow past focus on instant gratification and devil-may-care, hedonistic sensualism. The gay community promotes nonjudgmentalism and relativism, only expecting its males to accept their gay indentitiy and find happiness by doing whatever feels good to them at any given time. Gay culture celebrates superficial pursuits like fashion and looking good, but rarely celebrates potencial roles models who anything more substantive – unless they´re political activism working on behalf of the gay community. By separating gay man from other men and quarantining them in ghettoized gay culture, the gay community deprives its males of productive masculine role models. It models its boys according to a misguided feminist understanding of masculinity, but deprives them of rather figures who will challenge them, demand more from them, hold them to a higher standart – a masculine ideal – and inspire them to become man.”

"A comunidade gay, rejeitando todos os ideais masculinos culturais, e não somente aqueles que proíbem a expressão homossexual, permite aos seus homens permanecerem meninos. Muitos homens gays nunca crescem focando o passado em gratificações instantâneas e temerária sensualidade, hedonista. A comunidade gay promove não julgamento e relativismo, apenas esperando que seus homens aceitem a sua indentitiy gay e encontrem a felicidade ao fazer o que é bom para eles a qualquer momento. Cultura gay comemora buscas superficiais, como forma e boa aparência, mas raramente comemora modelos potenciais mais substanciais - a menos que eles sejam ativistas políticos trabalhando em prol da comunidade gay. Ao separar o homem gay de outros homens colocando em quarentena sobe a cultura de gueto gay, a comunidade gay priva os seus homens de produtivos modelos masculinos. Ela modela seus meninos de acordo com uma compreensão equivocada feminista da masculinidade, mas priva-os de ver figuras que irão desafiá-los, exigir mais deles, mantê-los a um maior padrão - um ideal masculino -. e inspirá-los a tornarem-se homens "


Incutir ao homem características femininas ou impedir a manifestação de sua masculinidade é uma forma de neutralizar o desenvolvimento do homem de garoto para um homem útil a sociedade. Um homem inútil a sociedade deixa de ser considerado homem ou tem seu valor de cidadão diminuído pelo senso comum. Para a sociedade, quanto mais manifesta é sua masculinidade, mais útil a esta mesma sociedade o homem apresenta ser de um modo produtivo.


Self-reliance, independence & personal responsability / Alto Suficiência, independência e responsabilidade pessoal

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan - http://recrutaespartano.blogspot.com.br/2012/12/sobre-androphilia-jack-donovam.html

“When someone says “be a man”, they are usually encouraging a male to be self-reliant, to be independent or to own up and take responsability for his actions”.

"Quando alguém diz "seja um homem ", eles são geralmente incentivando um macho à ser auto-suficiente, ser independente ou de assumir e tomar responsabilidade por suas ações".

Uma das qualidades de um homem, que deve ser aproveitada aos androphilos é a auto-suficiência como a propriedade de resolver por si mesmo seus problemas sem precisar de ajuda externa. Ser auto suficiente consiste em pedir a ajuda externa somente quanto todas as capacidades de resolver o problema por meios próprios estiver esgotadas.

“A popular gay anthem is always “I Will Survive”. If androphiles were in need of a anthem, I would suggest “My Way”. It´s code of self-reliant, tenacious manhood writtem into song”

"Um hino popular gay é sempre" I Will Survive ". Se os androphiles estavam precisando de um hino, eu sugiro "My Way". É o código de auto-suficiencia, tenaz masculinidade, escrita como canção "

“Self-reliance is an especially eppropriate value for androphiles because there´s good chance that many of them will live life without the support of an immediate family. There´s greather likelihood thet many of them will live a substancial part of their lives single. It is essential that androphiles take pride in taking care of themselves and making their own way, because ther´s a greather chance thet they´ll have to live independently.”

“Auto-suficiência é um valor especial e apropriado para androphilos porque há uma boa possibilidade de que muitos deles vão viver a vida sem o apoio imediato de uma família. a grande probabilidade de que muitos deles vão viver uma parte substancial de suas vidas sozinhos. É essencial que androphilos tenham orgulho em cuidar de si e fazer o seu próprio caminho, porque há uma grande chace de que eles tenham de viver de forma independente.”

É necessário trocar a cultura da “vitima” para uma cultura de “auto-suficiencia”, de indivíduos incapazes de resolver seus problemas pela fragilizasão imposta pela sociedade para indivíduos fortes e capazes de resolverem por si seus problemas.
Pessoas são solidárias e simpáticas as pessoas que lutam para manterem sua integridade porém não mantem a mesma simpatia por aqueles que fazem da lamentação seu bordão.

“It´s not society fault when homossexual men get SDTs or end up ddicted to drugs. It´s their own. And that will continue to happen as long as they run around having unprotected sex whit strangers and taking no interest in their own preservation. Men need to take responsibility for things thet they do, but they won´t unless we expect them to. It needs to become part of some personal code linked to their sense of self-worth. It´s not a moral issue; it´s an issue of self-respect.”

“Não é culpa da sociedade, quando os homens homossexuais contraem DST ou acabam viciados em drogas. É sua própria. E isso vai continuar a acontecer enquanto eles correm em busca de obter sexo desprotegido com estranhos e não tem nenhum interesse em sua própria preservação. Os homens precisam assumir a responsabilidade por coisas que eles fazem, mas eles não vão, a menos que sejam cobrados. Isso precisa ​​tornar-se parte de um código pessoal ligado ao seu sentido de auto-estima. Não é uma questão moral, é uma questão de auto-respeito.”

Não há mais desculpas para comportamentos de risco.A falte de cuidado nas relações demonstra falta de maturidade.

“Males perceive sex differently, and because sex between men doesn´t result in children, there´s really no reason to insist that they conform to the heterosexual ideal and form lifelong, monogamous bond”

"Homens percebem o sexo de forma diferente, é porque o sexo entre homens não resulta em crianças; dessaforma não há realmente nenhuma razão para insistir em que eles estejam em conformidade com o ideal heterossexual de formar vínculo monogêmico ao longo da vida"

Esse forma de pensar difere os gays da maior parte dos homens heterossexuais pois há de desenvolver-se um senso de maturidade para administrar as relações onde existe o risco de gravides e o potencial problema legal em ter de assumir uma paternidade ou ser o “pai de família”. Um homem so pode ser considerado um homem quando tiver consciência de que toda ação tem uma conseqüência e que precisa ter responsabilidade em assumir suas ações.






Achievment - Realização

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan - http://recrutaespartano.blogspot.com.br/2012/12/sobre-androphilia-jack-donovam.html

Existe uma tendência na comunidade gay de sub-avaliar certos valores, questões como boa aparência, o que o indivíduo veste ou consome, esquecendo de avaliar da mesma forma sua conduta, seu realização como pessoa. De uma forma amplificada, o gay costuma supervalorizar a ostentação de luxo e poder deixando de lado os valores reais que um indivíduo pode ter, suas habilidades, qualidade como ser humano.

“Men judge each other base don their skills (what they can do) and on their achievement (what they have done)”.

"Os homens julgam uns aos outros de base vestem suas habilidades (o que eles podem fazer) n ando sua concretização (o que fizeram).”

O homem que valoriza seus compromissos também valoriza seu tempo, não despendo o mesmo com coisas fúteis. Utiliza seu tempo a construção de uma realidade melhor, com produtividade.

“Men who value accomplishment are more productive, and tend to become more accomplished whit time. If a man´s value rests entirely on his youthful good looks and his fashion sense, he´s pretty much guaranteed a lifelong decline in self-worth. Focusing solely on youth and beauty gives man nowhere to go but downhill; it gives them nothing to grow into but the stereotypical ´biter old queen´. Concerned members of the gay community often scold gays for being ´so focused on looks´, but I rarely hear them offer what homos should be focused on. I´ll offer thet they should be focused on doing something – anything – but wasting their time trying look like 21-year-old look …”

"Os homens que valorizam a realização são mais produtivos, e tendem a se tornarewm mais realizados com o tempo. Se o valor de um homem está inteiramente em suas aparência jovial e seu senso de moda, ele está praticamente garantido um declínio ao longo da vida e sua auto-estima. Focar exclusivamente na juventude e beleza dá ao homem um rumo, mas para baixo, não lhes dá nada que os promova o crescimento, mas o estereótipo `maricona velha e amarga´. Membros interessados ​​da comunidade gay muitas vezes repreendem os gays por serem "tão focados na aparência", mas eu raramente ouvi-os oferecer aos homos alternativa a que devem focar. Vou oferecer um,  devem ser focados em fazer alguma coisa - qualquer coisa - mas desperdiçam seu tempo quando tentam parecer como se tivesse  “21 um aninhos... "

É necessário criar nos indivíduos um senso de comprometimento com a propria vida, construir um histórico de vida a praticando coisas que lhe permitam ter reais motivos de orgulho ao longo da vida.

“One of the main reasons I wrote this manifesto, perhaps the primary reason, is that I see so much squandered potential in homosexual males. I see so many intelligent, talent, capable homosexual and bisexual male who are undisciplined, undermotivated and caught up in the superficial distractions the gay culture celebrates. Androphiles have an uncommon opportunity for personal achievement. While I strongly advocatea sense of personal responsibility among them, they´re likely to have fewer responsibilities than straight men who have families. They´re less tied down by financial and familial obligations, and they are freer to relocate and travel if they choose to do so…”

"Uma das principais razões que me motivou a escreveu este manifesto, talvez a principal é que eu vejo tanto potencial desperdiçado em homens homossexuais. Eu vejo muitos tão inteligentes, talentosos, homossexuais e bissexuais capazes, que são indisciplinados, desmotivados e preso nas distrações superficiais que a ultura gay celebra. Androphilos tem uma oportunidade incomum para a sua realização pessoal. Enquanto eu tento defender fortemente a responsabilidade pessoal entre eles, eles estão propensos a ter menos responsabilidades do que os homens heterossexuais que têm famílias. Eles estão menos amarrado por obrigações financeiras e familiares, e eles são mais livres para mudar e viajar, se optar por fazê-lo ... "



Integrity, respect, masculine honor / Integridade, respeito, honra masculina

Extrato da parte da obra: ANDROPHILIA - Jack Donovan

INTEGRITY / INTEGRIDADE

Integridade significa agir de forma correta, sem mentiras para consigo proprio e seus companheiros. Manter a palavra e esforçar-se por cumprir suas promessas.
Mentir para engrandecer-se, tirar proveito de situações ou de amigos de forma desonesta não devem fazer parte da vida de um androphilo.

“People don´t expect lot from gay men. They expect gays to be fruity and flaky and emotional and inconsistent”.

" As pessoas não esperam muito dos homens gays. Eles esperam que os gays sejam frustrados, languidos  e emocionalmente inconsistentes ".

“If you´re going to call yourself a man, you need to be a ´man of you word´.

"Se você vai intitular-se um homem, você precisa ser um" homem que honra sua palavra ".

RESPECT / RESPEITO

“Profound respect is earned through achievement, self-reliance, personal responsibility, and integrity, among other things. I´ve also already touched briefly on self-respect, which is related (or should be) to these values, especially in males. If you have a sense of self-worth based on these things, you´re less likely to trat yourself poorly or put your body in unnecessary peril because you´ll want remain self-reliant and independent and continue to achieve the goals most important to you”

"Profundo respeito é conquistado através de realização, auto-confiança, responsabilidade pessoal, e integridade, entre outras coisas. Eu também falei brevemente sobre a auto-estima, o que está relacionado (ou deveria ser) a estes valores, especialmente nos machos. Se você tem um senso de auto-estima com base nessas coisas, você é menos propenso a maltratar-se ou colocar seu corpo em risco desnecessário, porque você vai querer permanecer auto-suficiente e independente e continuar a atingir os seus objetivos mais importantes "

Um homem conquista o respeito respeitando os seus semelhantes. Uma das coisas mais desagradáveis em relação ao homossexual é a insistência em desrespeitar os espaços coletivos com atos que, a parte as preferências ou preconceitos, poderia a qualquer um ser classificado como “desrespeitosos”. A idéia de chocar a sociedade através de ações escandalosas ou desobedecendo a regras de convívio é algo que não combina com a conduta de pessoas de bem.

Outro problema é o persistente atrevimento manifesto em alguns gays em achar que todo homem – mesmo os heteros – estão aberto as suas investidas sexuais.

“Throughout this manifesto, I´ve advocated that homosexual men see their sexuality as difference in sexual preference that shouldn’t exclude or separate them from ranks of man. However, this won´t mean anything unless homos learn to respect the sexual preferences of other man, as well.”

"Através deste manifesto, tenho defendido que os homens homossexuais vejam sua sexualidade como diferença na preferência sexual que não deve excluir ou separá-los da categoria de homens. No entanto, isso não vai significar nada menos que homossexuais aprendam a respeitar as preferências sexuais de outro homens também. "

“One of the perks of being an androphile is having access to the private world of men. We have access to showers, saunas, locker rooms, bathrooms and the like. We are flies on the wall, seeing man in ways that straight men would love to see women. If androphiles are to be trated like regular guys, discretion in these situations is essential. Private male zones have to be respected. They have to remain private male zones – not become our strip joints, with homos snapping camera-phone pictures, making comments and leering creepily at other men. By not respecting the boundaries and preferences of other men, androphiles only widen the unnecessary divide between homo and hetero. If homos don´t want to be regarded as creepy perverts, they need to stop behaving like creepy perverts.”

"Uma das vantagens de ser um androphilo é ter acesso ao mundo privado dos homens. Temos acesso a chuveiros, saunas, vestiários, banheiros e similares. Somos como moscas na parede, vendo o homem de maneira que os homens heterossexuais que gostariam de ver as mulheres. Se androphilos devem ser trados como caras normais, discrição nestas situações é essencial. Zonas particulares do sexo masculino tem que ser respeitadas. Eles têm que permanecer zonas privadas do sexo masculino - não se tornar nossas observadores voyers, homossexuais  tirando fotos com a câmera do celular, fazer comentários e inapropriados assustado os outros homens. Por não respeitar os limites e preferências de outros homens, androphilos apenas aumentar a divisão desnecessária entre homos e heteros. Se homos não querem ser considerados como pervertidos assustadores, eles precisam parar de se comportar como pervertidos assustadores. "

Respeitar para ser respeitado, respeitar os lugares de convício, respeitar o espaço e a intimidade dos outros, agir com discrição garantem e o ser bem recebido em qualquer ambiente.

Outro fator ainda relacionado ao respeito e a descrição é quanto a fofoca. Entre homens a lealdade e a confiabilidade em poder compartilhar segredos ou comumente visto pelas mulheres como “cumplicidade de homens”, é uma das qualidades mais marcantes. Saber guardar segredo e o que fala entre companheiros é um exercício que o androphilo deve praticar, seja em relação aos companheiros seja a respeito da própria intimidade.

“Bitchy gossip is a cornerstone of gay culture. Sometimes, gossip is harmless and in goog fun. Often, however, it´s mean-spirited, or merely revealing private information for sake of having something interesting to say”.

"Fofoquinhas” é uma pedra fundamental da cultura gay. Às vezes, a fofoca é inofensiva e em diversão tola. Muitas vezes, porém, é mesquinha ao simplesmente revelar informações privadas para ter algo interessante a dizer ".

MASCULINE HONOR / HONRA MASCULINA

“These have been many different codes of masculine honor throught the ages. Some are occupationally specific – different things are expected of warrior than of a civilian. But the reason these codes tend to be so powerfuk is because they are easily attached to men´s fundamental male identities; these codes of honor become part of what it men as to be a man.”

"Tem havido muitos diferentes códigos de honra masculina durante todo os tempos. Alguns são ocupacionalmente específicos - coisas diferentes são esperadas do guerreiro e do cidadão comum. Mas a razão destes códigos tendem a ser tão poderosos é porque eles são facilmente conectado aos fundamentos da identidade masculina; esses códigos de honra tornar-se parte do que encorajado para ser um homem ".

A observância a códigos de conduta tem como objetivo orientar o desenvolvimento de comportamentos sociais dentro daquilo que necessita e espera uma sociedade de seus indivíduos.
Existe um conceito errôneo entre os gays que ensina que viver em liberdade é viver sem regras, porém para se viver em sociedade é necessário obedecer a princípios sem afetar a liberdade também de direito dos outros indivíduos. Entre homens que amam outros homens não há ainda um código específico, não há uma expectativa em que esperar de um androphilo o que é um fator perigoso já que a falta de regras tende a condutas contraproducentes.

“The gay movement has been in part base don the feminist idea of ´liberation´ from codes, but these ´liberated´ men are often perfect examples of men behaving badly. Without a sense of masculine honor, of what it means to be a man, males merely do whatever they want. The nonstop 1970s orgy of drugs and sex in the male homosexual community is what happens when liberated men´- men whitout a code – run wild”.

"O movimento gay tem sido, em parte, fundamentada na idéia feminista de" libertação "dos códigos, mas estes homens" liberados " são muitas vezes exemplos perfeitos de homens que se comportam mal. Não seguem um sentido de honra masculina, do que significa ser um homem, estes homens fazem simplesmente o que querem. A orgias desenfreadas da decada de 1970 com drogas e sexo na comunidade homossexual masculino é o que acontece quando  homens liberados -homens sem um código correm a solta ".

Sem parâmetros de como deve agir, livre para fazer o que bem entender sem amarra-se a códigos de conduta e honra que orientem suas ações ou decisões, a tendência é que se experimente uma total falta de limites geralmente rumando a decadência.

“What I´ve suggested here is a loose code of masculine honor, base don values like self-reliance, independence, personal responsibility, integrity, self-respect and respect for other men, that have resonated with males throughout the ages. These values have been common themes in many codes of masculinity, and they´ve inspired countless males to be better men. They´re productive values for both individuals and the group”.

"O que eu sugeri aqui é um código de honra masculino pratico, valores base como a auto-confiança, independência, responsabilidade pessoal, integridade, auto-respeito e respeito pelos outros homens, que ressoa entre os homens através dos tempos. Estes valores foram temas comuns em muitos códigos de masculinidade, e eles inspiraram inúmeros homens a serem homens melhores. São valores produtivos para os indivíduos e ao grupo ".