segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Votar em Quem?

Reluto sempre em falar em política, mas seria uma enorme demonstração de alienação deixar de falar disso numa época dessas, de eleição.
Tenho visto ao longo dos anos uma crescente tendência da extrema direita em dominar o cenário ideológico. Nas eleições e entre os candidatos no geral vejo uma manifesta preferência por discursos conservadores, a prevalência de ideologias embasadas no fundamentalismo religioso quando não em regimes antidemocráticos como o fascismo! Temo por isso.
Não que eu apoio os partidos de esquerda, longe disso, mas acredito que em nosso tempo é necessário governar com mente aberta, não é possível reconstruir a sociedade do início do século XX, época na qual essas ideologias se cristalizaram, muito menos as épocas históricas do Velho Testamento, onde ao homem e a justiça era feita a golpes de espada e as minorias eram subjugadas ou eliminadas por ordem divina, seja lá qual deus desse essas ordens.
Já critiquei diversas ocasiões a forma de manifestar-se nas Paradas do Orgulho Gay nas grandes capitais do Brasil, no entanto também venho observado reprovativamente o surgimento de grupos anti-manifestações apoiados por grupos fundamentalistas religiosos e partidos de extrema direita; estes com sua organização muitas vezes superior em meios e contingente de pessoal dos grupos a favor dos direitos dos homoafetivos, vem marcado presença nos protestos, muitas vezes agindo com violência como forma de intimidação.
Enquanto alguns grupos pensam que manifestação política é carnaval, outros se organizam como milícia, usando e abusando de recursos psicológicos para o convencimento ideológico em nome de Deus ou de uma suposta ameaça “vermelha”. Esses grupos, organizados soldados de Deus ou guardiões das tradições patrióticas e familiares, criam representações políticas, concentram seus votos para elegê-las e, estando no poder, promovem aí seus interesses; se não combatem, criam entraves para cercear os direitos das minorias que vão contra aquilo que entende como a “correta forma de viver”.
Pior do que fazer de um protesto um carnaval de alienados é proibi-los de se manifestar por força de uma “mão de ferro”. O que eu gostaria de dizer, de pedir, é simplesmente que abram os olhos, votem naqueles que realmente os representam, em quem realmente tem interesses políticos iguais aos seus.
Por favor, não votem no engraçado, nem no bonito, votem no sério! Há tempos atrás houve um candidato a presidente, muito engraçado, à custa de declarações excêntricas e gesticular de um louco, conquistou o voto de muita gente, esse “representante” fazia parte de um partido de extrema direita que dava apoio ideológico para diversos grupos que agiam na informalidade e de forma violenta na cidade de São Paulo. Senhores, por favor, votem certo!
Quem fecha os olhos para os erros da historia correm o risco de repeti-los. Votar de forma consciente é seu maior instrumento de mudança.

Ps: Ao assistir o video abaixo, considerar que nem todo skinhead é nazista, os nazistas são denominados pelo movimento como bonneheads, cabeças de osso. E são combatidos por vários grupos da sub-cultura: punks, skinheads Sharps. Trojans e Rashs...



O Respeito Silencioso

O que é respeito? O que é respeitar?
No interior, nas grandes propriedades, os limites entre as propriedades são demarcados a arame farpado; dessa forma se entende que é necessário respeitar o limite entre uma propriedade e outra. Qualquer um pode passar entre os vãos da cerca, qualquer um pode se aventurar para o outro lado, porém, respeita-se, não se atravessa para além do limite que o outro estabeleceu.
Então posso entender que respeito é não ultrapassar o limite que o outro estabeleceu... Vem aí a pergunta? Eu sei qual é o limite do meu próximo?
Conheço pessoas que tem um “feeling”, um senso de percepção que os permite saber até onde podem avançar. Admiráveis, calam-se quando o que é declarado em uma roda de amigos não lhe agrada, olham reprovativamente, mas não entra em discussão, observam, refletem, mas não se manifestam em palavras, seu manifesto é a cumplicidade ou o silêncio.
Estas pessoas são racionais, a maioria delas deixou para trás seus preconceitos por conta de um racionalismo quase científico, não vêm mais o diferente de forma apaixonada mas, simplesmente como uma das diversas manifestações do jogo genético humano, assim como nas plantas e nos outros animais.
Destas pessoas o respeito se dá da forma mais pura, mais honesta, de livre vontade, pois, sabem que não vale a pena perder um bom amigo, horas de bom papo e companheirismo por conta de “miudezas” das vidas particulares. O que é particular não se avança! Como a cerca entre as propriedades que permite olha para o outro lado, ver tudo que lá está até a linha do horizonte, porém não se avança, mesmo podendo fazê-lo. A invasão àquilo que é do outro é algo inimaginável. O que é seu, para mim se não me prejudica, não necessita explicações.
Este é o respeito que deveria ser praticado pelo guerreiro, o respeito consciente, honesto, espontâneo, o respeito manifesto em não perguntar sobre aquilo que não lhe diz respeito, não invadir o limite do próximo.


domingo, 14 de setembro de 2014

Uma Historinha de Face Book

Bom, sempre conto lá alguma historia que observei pela vida e, nos últimos tempos chegou para mim uma historia que serviria bem de lição para muita gente.
Lá na empresa onde trabalhava havia um rapaz, homossexual, até bem discreto. Ocupava um cargo de respeito e, lá do seu jeito, era respeitado. As pessoas sabiam de sua sexualidade mas, deixavam pra lá, pois naquele local, apesar do preconceito latente, em questão as relações de trabalho eram tão tensas que ninguém na verdade estava muito interessado na sexualidade do outro e sim se tinha um alidado ou não.
O fato é que o tal rapaz liderava uma equipe formada por umas oito pessoas, todos homens e até que se prove ao contrário, heterossexuais. Esses homens sabiam da sexualidade do líder e excetuando-se uma piadinha de ocasião, isso também não tinha muito peso nas relações diárias.
O nosso “personagem” tinha um companheiro afetivo, morava junto e tal, a coisa de um ano ou mais, contudo não era fiel, nem um pouco! Não perdia oportunidade de dar uma pulada de cerca. E para fazer contatos para sexo, para quem não tem escrúpulos vale tudo: ligar pra número desconhecido, caçar pela rua, caçar nas redes sociais...Então, um belo dia acontece o que não deveria acontecer, ou melhor, não se espera que aconteça - pelo menos para quem assim procede...
O camarada criou um perfil numa rede social para seus relacionamentos de amigos heterossexuais e contatos de trabalho, e ligado a esse perfil um outro falso para servir as suas caçadas sexuais. No perfil “real” adicionou então um rapaz que era amigo de um dos membros do seu grupo de trabalho e com este “novo contato” ficou algumas semanas de bate-papo até que o assunto enveredou-se para o lado sexual da coisa. O “personagem” então pediu que o “novo contato” o adicionasse como amigo o seu perfil falso e, mesmo já tendo namorado, o propôs uma aventura usando para convencê-lo enviar várias fotos nus, desde da frente até os verso, desde o talo do palmito ao miolo da goiaba...
Enfim, as fotos nas mais variadas posições da nudez masculina passaram do amigo para o amigo, e do amigo do amigo para o amigo do amigo do amigo.
Em uma semana todo mundo tinha no celular as fotos mais do que indiscretas do "personagem". Não sei como a historia terminou ou terminará, espero que termine bem, com o esquecimento. Eu prefiro ficar longe dessa sujeira toda que pode trazer muito mais problemas aos envolvidos, principalmente quando a coisa se desenrola dentro de uma corporação. Espero que pensem um pouco nisso e reflitam no risco que se expõe, nas coisas que têm a perder com atitudes impensadas movidas penas pelo tesão absurdo e a incapacidade de se conter.




A Fofoca

A fofoca é como a sarna, se espalha e empesteia todos os animais de uma manada.
Entre homens a fofoca é vista de forma repulsiva, a fofoca cheira mal.
O cara pode ter defeitos, pode até ser desonesto em determinadas situações mas, na sociedade de homens, o fofoqueiro é execrável!
O fofoqueiro é detestável porque seu mal atinge a todos, afeta as bases de um grupo, cria malefício até para quem esta distante.
O fofoqueiro é um dedo-duro em potencial, aquele que entrega o segredo de irmãos, que vende o companheiro a preço de banana, alguém que não tem palavra.
Muitas vezes vi como a fofoca entre homens é tratada, cada vez que o fofoqueiro entrava em cena as conversar eram modificadas, o clima ficava tenso e as pessoas se dispersavam.
Quando fofoca começava os menos discretos se levantavam e se retiravam, aos outros a conversa “desconversava” e logo só ficava mesmo, fofoqueiro com fofoqueiro e, pode apostar todo pentelho do seu saco, no próximo “role” esse cara não seria chamado.
Fofoca sempre foi tida como um atributo feminino, mas discordo, fofoca tem mais haver com fraqueza de caráter, coisa de quem faz da vida do outro observatório para as suas frustrações, como se fizesse da fofoca a bomba vingadora das coisas que tenta destruir no outro para que tudo se iguale a sua própria vida, vida sem acontecimentos, mal realizada...frustrante...
O homem fofoqueiro é fraco, doente de caráter, não-confiável. Se somos espartanos devemos ser guerreiros, e se somos guerreiros não podemos ser fracos, devemos combater em nós qualquer tipo de fraqueza! Vida longa, camaradas!


 

O Churrasco

Enfim, vamos ao churrasco...Durante a semana, um amigo liga para o outro e o churrasco vai sendo combinado, vai ser na casa de um, na casa do outro, somente os amigos. E o “amigo” é a questão da confiança, entre aqueles amigos, só se chama para o churrasco o camarada, o cara de confiança, afinal de contas, tem-se os amigos de bar, mas, não é qualquer cabra que lhe dá tapinhas nas costas que se coloca dentro de casa, na companhia da esposa e filhos.
No dia combinado cada um chega com sua caixa de cerveja e alguma carne, a churrasqueira já está acesa, todo mundo é bem recebido. Seja casado ou solteiro é bom trazer também o respeito, pode-se falar bobagens, pode-se cair no chão, mas faltar com respeito nunca! Uma ofensa, seja pra quem for, e sentida por todos, motivo de indignação coletiva e para ter o nome riscado para sempre da lista dos convidados do próximo churrasco. Desonra!!
Regra geral não se deve cobiçar a mulher do próximo, não se deve falar bobagens na frente das crianças. Quanto ao passado, ele é cuidadosamente conservado, tirando-se de lá vez por outra algumas pérolas, mas nada que possa criar má situação entre os casais. Respeito acima de tudo!
Então fico pensando nos churrasco que fui ao passado, entre casais gays. Todos homens mas, o respeito passou longe. Bobeou era ouvida uma cantada das mais absurdas, a fofoca rolava solta e alguém sempre acabava ofendido. Era como aqueles realities shows onde a cada semana um participante era eliminado. Eliminado porque depois de bêbado cantou o companheiro do outro, falou indiscrições sobre o passado para quem não deveria, passou dos limites.
Calma, de maneira alguma estou afirmando que entre héteros isso não acontece. Estou falando de homens irmanados por uma ideologia, uma forma de viver, estou falando de homens que mantém a lealdade uns com os outros como parte do seu modo de vida.
Enfim, fico pensando... Quantos amigos espartanos eu poderia convidar para um churrasco?