segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Votar em Quem?

Reluto sempre em falar em política, mas seria uma enorme demonstração de alienação deixar de falar disso numa época dessas, de eleição.
Tenho visto ao longo dos anos uma crescente tendência da extrema direita em dominar o cenário ideológico. Nas eleições e entre os candidatos no geral vejo uma manifesta preferência por discursos conservadores, a prevalência de ideologias embasadas no fundamentalismo religioso quando não em regimes antidemocráticos como o fascismo! Temo por isso.
Não que eu apoio os partidos de esquerda, longe disso, mas acredito que em nosso tempo é necessário governar com mente aberta, não é possível reconstruir a sociedade do início do século XX, época na qual essas ideologias se cristalizaram, muito menos as épocas históricas do Velho Testamento, onde ao homem e a justiça era feita a golpes de espada e as minorias eram subjugadas ou eliminadas por ordem divina, seja lá qual deus desse essas ordens.
Já critiquei diversas ocasiões a forma de manifestar-se nas Paradas do Orgulho Gay nas grandes capitais do Brasil, no entanto também venho observado reprovativamente o surgimento de grupos anti-manifestações apoiados por grupos fundamentalistas religiosos e partidos de extrema direita; estes com sua organização muitas vezes superior em meios e contingente de pessoal dos grupos a favor dos direitos dos homoafetivos, vem marcado presença nos protestos, muitas vezes agindo com violência como forma de intimidação.
Enquanto alguns grupos pensam que manifestação política é carnaval, outros se organizam como milícia, usando e abusando de recursos psicológicos para o convencimento ideológico em nome de Deus ou de uma suposta ameaça “vermelha”. Esses grupos, organizados soldados de Deus ou guardiões das tradições patrióticas e familiares, criam representações políticas, concentram seus votos para elegê-las e, estando no poder, promovem aí seus interesses; se não combatem, criam entraves para cercear os direitos das minorias que vão contra aquilo que entende como a “correta forma de viver”.
Pior do que fazer de um protesto um carnaval de alienados é proibi-los de se manifestar por força de uma “mão de ferro”. O que eu gostaria de dizer, de pedir, é simplesmente que abram os olhos, votem naqueles que realmente os representam, em quem realmente tem interesses políticos iguais aos seus.
Por favor, não votem no engraçado, nem no bonito, votem no sério! Há tempos atrás houve um candidato a presidente, muito engraçado, à custa de declarações excêntricas e gesticular de um louco, conquistou o voto de muita gente, esse “representante” fazia parte de um partido de extrema direita que dava apoio ideológico para diversos grupos que agiam na informalidade e de forma violenta na cidade de São Paulo. Senhores, por favor, votem certo!
Quem fecha os olhos para os erros da historia correm o risco de repeti-los. Votar de forma consciente é seu maior instrumento de mudança.

Ps: Ao assistir o video abaixo, considerar que nem todo skinhead é nazista, os nazistas são denominados pelo movimento como bonneheads, cabeças de osso. E são combatidos por vários grupos da sub-cultura: punks, skinheads Sharps. Trojans e Rashs...



Nenhum comentário:

Postar um comentário