sábado, 3 de novembro de 2012

O Caminho do Homem ("The Way of Man") – Reaprender a ser homem?

Reflexão sobre a obra: “The Way of Man” - Jack Donovan

Diversas são as análises que podem ser feitas a partir dos escritos de Donovan, porém uma verdade incontestável é que muitos dos conceitos por ele relacionados estão diretamente ligados a formas de pensar já experimentadas pela maior parte de nós. O grande questionamento é exatamente o que o próprio título da obra nos traz “The Way of Man” ou O Caminho do Homem...
Qual o caminho do homem? O ponto central da reflexão se faz na maneira a qual a sociedade moderna distorce ou substitui pelos mais diversos motivos, os caminhos trilhados pelo homem, ou melhor, que o indivíduo do sexo masculino percorre para se tornar um homem. O que antes era ensinado como um valor partilhado por membros do mesmo sexo em uma pequena comunidade, nos dias de hoje se perde ou se perverte em valores nem sempre tidos como viris. O que antes era virtude deixa de ser aos olhos da “civilidade”.
Para esse problema, Donovan nos propõe a análise do que ele chama de “valores estratégicos”, um conjunto de valores que devem ser cultivados para que um homem seja considerado realmente como um homem, seja pelos seus pares ou pela sociedade em geral.
Os valores são:
Força
Força física, tida como um fator preponderante na evolução da espécie e como fator elementar para que o indivíduo desempenhe com sucesso as funções até então tidas como de propriedade masculina. Força é a chave para a afirmação do poder!
“Sem a força a masculinidade se torna qualquer outra coisa – um conceito diferente”
Define força como uma qualidade masculina, geneticamente definida por fatores biológicos e reconhecidos, independentemente da cultura, como característica de masculinidade. Admite-se uma mulher forte, porém não é objeto de admiração um homem fraco.
Analisando ainda a força como fator biológico, as diferenças hormonais entre homens e mulheres está intimamente ligada. As relações de força e desenvolvimento muscular estão diretamente ligadas a quantidade de hormônio masculino – testosterona – no indivíduo. Quanto maior a quantidade desse hormônio no organismo de um ser humano, este ira apresentar suas características masculinas mais reforçadas. Mulheres fisiculturistas geralmente apresentam grande quantidade de hormônio masculino em seu organismo e tornam-se “masculinizadas” por força desses fatores. A mulher o que reforça sua feminilidade é a fragilidade.
O fator força – entenda-se aqui força física – está também ligado ao exercício do poder. Primitivamente aquele que se apresenta maior força como um poder de pressão sobre os adversários assumiam os papeis dominantes na sociedade.
“A experiência de ser macho é a de ter grande força, e a força precisa ser exercitada  e demonstrada para ter algum valor. Quando um homem não pode exercer  sua força ou deixa de usá-la, a força torna-se decorativa e sem valor”.

Coragem
Donovam coloca a coragem ao lado da força entre as virtudes masculinas. Coragem em sua definição seria a vontade de colocar a própria integridade em beneficio próprio ou de um grupo. Na antiguidade era uma virtude essencial para os guerreiros, porém na atualidade o homem tem poucas oportunidades de demonstrá-la.
“Para se obter a essência do que realmente é masculinidade, vamos remover a polidez  da moralidade e da nobreza por um momento. Neste momento e que acredito que alguns homens demonstrem tendências ao heroísmo em um nível quase instintivo”.
Coragem é o triunfo sobre o medo. A demonstração de coragem pode ser medida pelo enfrentamento dos próprios temores. O mais alto grau de coragem é aquela que lhe dá poder de enfrentar a própria morte.
“Coragem é a vontade de correr riscos, a fim de beneficiar-se ou a outros. Na sua forma mais simples e amoral, a coragem é uma vontade ou desejo apaixonado de lutar ou manter o terreno a qualquer custo (esportismo, “coração”, “espírito”, thunos)... Na forma mais desenvolvida de coragem, civilizada e moral, é o desejo ponderado e decisivo  em arriscar-se ao dano a fim de garantir o sucesso ou a sobrevivência de um grupo ou outra pessoa (coragem, virtude, andreia).

Maestria
Partindo-se do suposto de que um homem, em plena posse de suas capacidades físicas e mentais, ao tornar-se adulto, dever ser capaz de manter-se a si próprio, garantir sua subsistência. A auto-suficiência em manter-se não equivale dizer que o mesmo homem não é interdependente de outras pessoas. O homem aceita então ser interdependente de outros, mas não completamente dependente. Esta interdependência se mantém na compreensão de que a subsistência do grupo depende das habilidades conjuntas dos vários indivíduos que o compõe.
Define-se como maestria a capacidade de desenvolver e apresentar habilidades úteis nas mais diversas situações. A maestria torna-se um fator compensatório a falta de outras habilidades, pois é através dela que os homens se tornam capazes de criar entre pessoas e ferramentas, extensões de si mesmo. Garantindo com essas habilidades o seu valor dentro de um grupo.
“Maestria é o desejo humano e habilidade de cultivar e demonstrar conhecimento e experiência em técnicas que lhe garantam sobrepor seus desejos sobre si mesmo, sobre a natureza, sobre a mulher e sobre outro homem”

Honra
 A honra é talvez o mais complexo dos valores a serem cultivados pelos homens, pois não depende apenas da vontade única do indivíduo, mas está vinculada a visão que a própria sociedade o faz do mesmo. As definições de honra são relativas de grupo para grupo, mas de uma forma generalista, seria a capacidade de atender as expectativas de um grupo quanto a manutenção de valores cultivados ao longo do tempo, das tradições.
A honra tem haver com aquilo que outro homem pensa de você. Um homem que não importa com o que dizem de si, não tem honra...
A honra é a reputação de coragem de um homem, força e domínio no contexto de um grupo composta pelo que entendem por honra principalmente de outros homens


8  8  8  8  8  8  8  8

Dessa forma,fica fácil entender o que é a desonra para um homem:
Um conjunto de qualidade faz um homem honrado, a falta dessas qualidades traz o indesejado e a desonra...
Dentro de um conceito de grupo masculino, no que tange o manter dos costumes entendidos como masculinos:
“Desonra é deslealdade” – pessoa torna-se não confiável
Torna-se não confiável porque “dá as costas” aos valores mantidos pelo grupo, abalando sua segurança dentro daquilo que entende como verdadeiro e ideal ao homem. Dessa forma:
O repúdio aos homossexuais ou quem o grupo percebe ser homossexual é geralmente justificado através do apelo para as leis divinas ou naturais. Com essa manobra  absolvem-se os homens de responsabilidade da crueldade social aos membros da sua própria tribo. Quando os homens rejeitam homens afeminados, o que eles estão rejeitando na verdade , lançando-os para fora como uma forma de limpeza  da colônia, são os próprios homens que carregam consigo seu estigma corrosivo”.

A “corrosão” dos costumes pode abalar a sociedade masculina. Entendem o homossexual como uma ameaça a honra do grupo, ja que entende-se como sendo um homem que tem por valores pessoais aqueles pertencentes as mulheres.

888888888

A Corrosão dos Costumes e a Perda da Identidade Masculina

Através do afastamento por parte do indivíduo dos antigos costumes entendidos pela atual sociedade como primitivos, existe um esforço por parte da sociedade ao que chamamos de civilização. Fatores que antes eram tidos como valores viris e “do homem” hoje são vistos como fatores demonstrativos de incivilidade e são combatidos.
Para satisfazer os instintos humanos desenvolvidos em milênios de evolução, a sociedade atual busca substituir ou sublimar dos agrupamentos de homens os valores associados as habilidade de caça, guerra e capacidade de preservação de seus genes através da conquista das “fêmeas”. O novo homem então trilha um novo caminho e nesse novo caminho se aproximam as características que definiam socialmente o que era um homem e uma mulher. O homem deixou de saber o que significa ser um homem, quais as características definem um homem além dos fatores genéticos. O indivíduo masculino, inserido na moderna sociedade, agoniza e tenta reaprender a ser homem.










Nenhum comentário:

Postar um comentário